Theatro Municipal comemora 105 anos

O Theatro Municipal, no Centro do Rio, está fazendo 105 anos, mas quem ganha presente somos nós.

Para festejar o aniversário haverá uma série de atividades gratuitas programadas para o dia 14/07/2014, de 9h às 20h.

A agenda conta com o Ballet, Coro e Orquestra do Theatro Municipal, apresentação dos alunos da Escola de Dança, Arte e Técnicas do Theatro Municipal Maria Olenewa e convidados. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no site do Municipal.

url

Fonte: Catraca Livre

Vai um cafezinho?

home

O Coffee Lab é um laboratório de torra, degustação e preparo de cafés de qualidade criado pela barista Isabela Raposeira.Especialista na torra dos cafés, ela já ensinou 3.000 profissionais ao longo de doze anos de profissão.

coffeelab5

A barista Isabela Raposeiras tirando seu café no Aeropress

Além de acompanhar todo o processo de preparação e ter uma aula sobre café, o Coffe Lab apresenta, no seu cardápio, alguns rituais de degustação que convidam os clientes a expandir os conhecimentos sobre a bebida.

Só no Brasil, existem dezenas de variedades do grão (catuaí, catucaí, icatu amarelo, acaiá mundo novo, caturra, Bourbon vermelho e amarelo…), e cada uma delas— ou o blend, a mistura entre elas– resulta em uma bebida única.

A cafeteria é considerada uma das melhores do mundo e já recebeu diversos prêmios, como o de melhor cafeteria de São Paulo pelo Veja Comer & Beber 2012.

Além da qualidade de tudo, e de oferecer água filtrada gratuitamente, o Coffee Lab possui uma área externa perfeita para passar algumas horas lendo, trabalhando no notebook e saboreando o café sob a sombra da grande árvore de carambola.

424170_272612439479296_2074618496_n

Está com fome? Sem problemas! Não deixe de provar as deliciosas comidas da cafeteria que acompanham muito bem o seu café como o biscoito de polvinho com cream cheese, o tostex feito no pão de brioche orgânico com queijo minas padrão e a picadinho de carne cozida no café sobre pão orgânico tostado com queijo.

coffeelab2

Ao sair não deixe de observar a equipe trabalhando na lindíssima e  moderna máquina de torra de alta precisão, única no país, e de comprar alguns dos microlotes desenvolvidos pela barista.

8597639384_4d782f7f11_b

Coffee Lab

Rua Fradique Coutinho, 1340, Vila Madalena

Tel.: 3375-7400

De seg/sáb, 10h às 22h

O Rei Leão – O Musical

Baseado no desenho animado da disney e lançado nBroadway de Nova Iorque em 1997, “O Rei Leão – O musical” conta a mesma história do filme. Ganancioso, o leão Scar mata o irmão Mufasa para tomar o reino dos animais para si. A culpa do assassinato cai sobre Simba, filho do rei, que é obrigado a fugir e crescer longe do lar.

2013---o-leao-mufasa-em-cena-do-musical-o-rei-leao-da-disney-1364245315975_615x300

O espetáculo já esteve em Londres, Tóquio, Paris, China, Espanha, Las Vegas, entre outros e já foi  traduzido para oito línguas diferentes, chegou ao Brasil (São Paulo) em março de 2013 e teve sua temporada estendida até 22 de dezembro de 2014.

Eleito em 2012 a maior bilheteria da história da Broadway, com arrecadação de US$853,8 milhões desde sua primeira apresentação, a produção já vendeu mais de 250 mil ingressos no Brasil em menos de seis meses em cartaz.

Lion King Las Vegas

Atriz sul-africana (e ex-atriz da tournê nacional) Phindile Mkhize no papel da babuína Rafiki

A premiada peça traz referências à cultura africana e ao teatro de máscaras e marionetes. De uma maneira que só a Broadway sabe fazer, o show encanta adultos e crianças na riqueza dos detalhes e na forma em que representam os animais e a natureza, transportando a platéia para dento do filme.

A trilha sonora foi, originalmente, composta por Tim Rice e Elton John, e adaptada para a versão brasileira por Gilberto Gil.

Um dos musicais mais incríveis que já vi até hoje que te surpreende a cada cena e faz você querer ver de novo, de novo e de novo.

Os ingressos estão disponíveis para venda na bilheteria do Teatro Renault e pela Central Tickets For Fun, no telefone 4003-5588 (válido para todo país), no site www.ticketsforfun.com.br e no pontos de venda.

Teatro Renault

Av. Brig. Luís Antônio, 411 – Bela Vista – Centro. Telefone: 4003-5588.

Ingresso: R$ 50 a R$ 280

Horário(s): Quintas e sextas, às 21h; Sábados, às 16h e 21h; Domingos, às 14h e 18h30

Duração: 160 minutos

Classificação: Livre

Restaurante Coco Bahia – Salvador

Se você estiver em Salvador não deixe de conhecer o Restaurante Coco Bahia.

url2

Entrada (estacionamento ao lado)

romulo-tratada-(1)-site-1

Ambiente muito agradável

O restaurante de dois andares está localizado na Pituba e tem os mais variados pratos com frutos do mar. A estrela da casa é o camarão e o cardápio possui uma páginas dedica a ele.

Já fui mais de uma vez e todos os pratos que provei foram uma loucura.

As porções são SUPER bem servidas. Da última vez pedimos o prato “Camarão Iracema” e dividimos por 4 pessoas!!! Saímos todos mais que satisfeitos com tanta comida.

coco_bambu3

Pratos muito bem servidos

Além de tudo o atendimento é excelente e o preço em conta, por volta de R$ 100,00 (barato se pensar que pode ser dividido por 4 pessoas)

O ambiente é super agradável. Em todas as vezes que fui fiquei no andar superior e sempre tinha um DVD de um ótimo show passando (e a música fica em um volume super confortável).

O restaurante também funciona à noite e vende crepes e pizzas.

Endereço: Av. Professor Magalhães Neto, 1273
Bairro: Pituba
Telefone: (71) 3359-9000
Fan page: https://www.facebook.com/cocobambubahia
Site: http://restaurantecocobambu.com.br/

Carnaval em Salvador – energia que contagia

QUAIS AS NOVIDADES?

Esse ano houve mudança nos circuitos. O Circuito Osmar (Centro) passou a compreender apenas o Campo Grande e a Avenida Sete de Setembro, excluindo a Rua Carlos Gomes, tendo sua duração reduzida de quase 8h para 5h. A Praça Castro Alves funcionou como um espaço para a apoteose final dos desfiles já que os blocos puderam ficar parados por 30 minutos, fazendo um show no fim do percurso.

O Furdunço também é outra novidade lançada esse ano. O bloco sem corda puxado por Carlinhos Brown reune mais de 40 artistas e tem trios vintage como Caetanave e Garrafão.

SEGURANÇA

Li muitas coisas na internet e peguei relatos de amigos que já tinham ido a outros carnavais e, para todos a dica era unânime “não fica pela pipoca que é perigoso demais. Passa direto pra dentro da corda.”

Posso ter tido sorte, mas fui positivamente surpreendida nesse quesito.

Claro que saía sempre com o que importava na doleira dentro do short, mas andei de escapulário todos os dias, atravessei a pipoca diversas vezes para chegar aos camarotes ou para ir ao banheiro e, mesmo assim, nos últimos blocos estava até com dinheiro no bolso da frente do short sem ter tido problema nenhum.

Havia muita PM em tudo que era lugar e eles são extremamente respeitados. Se você ver um clarão na multidão pode ter certeza que é o cordão de PMs passando. A PM lá tem uma fama de ser bastante agressiva e por isso é muito temida. De certa forma dá uma organizada num carnaval com toda essa dimensão.

Uma amiga minha, no bloco Largadinho da Claudia Leitte, disse que o bloco estava tão lotada que ela foi de pipoca. Tranquilamente curtiu tudo e voltou sem relato ruim nenhum.

Vale ficar atenta, mas nada diferente do nosso dia a dia no RJ.

TRANSPORTE

Esse foi o quesito que mais me incomodou.

Fiquei hospedada em um hotel na Av. Oceânica e, quando cheguei em Salvador, descobri que todas as ruas no entorno são fechadas.

Nosso transfer informou que não daria para passar da altura do Shopping Barra. Com um pouquinho de sorte conseguimos autorização para que o carro fosse mais a frente e ele acabou por nos deixar na esquina do nosso hotel. Mesmo com uma distância tão pequena é estranho seguir com mala de rodinhas e bolsa no meio do povo indo para o bloco. Mas a condição não é tão diferente assim, pois via outras pessoas na mesma situação, o que amenizou meu desconforto.

De qualquer forma a volta do final do circuito para o hotel não tinha muita opção. Era a pé (seja por meio da pipoca no próprio circuito ou contornando por ruas paralelas) ou moto táxi.

Uma amiga voltou de moto táxi no primeiro bloco e disse que foi tranquilo e super rápido. A moto consegue cortar aquelas fileiras infinitas de carro do transito comum de final do circuito. O valor cobrado foi de R$ 25 e ele deixou ela no alto de uma ladeira que terminava no Shopping Barra.

Nos outros dias todos voltamos pelas ruas paralelas ou pelo circuito. Tem muitas pessoas na rua em tudo que é lugar, o que causa uma sensação de segurança. A única parte ruim é ter pernas para andar tuuudo aquilo depois de correr e pular tanto!

HOSPEDAGEM

Ficamos hospedadas no Hotel Monte Pascoal que fica localizado na Barra pertinho do início do circuito.

O hotel é extremamente bem localizado e, como é na Av. Oceânica o bom é pegar um dos quartos de frente que servem como camarote.

O único inconveniente é que o hotel serve de ponto do SBT e é camarote da Daniela Mercury, ou seja, os quartos da frente são praticamente impossíveis de ser locados e os hóspedes ficam sem acesso a nenhuma área comum do hotel (piscina, restaurante,…).

Vista da varanda do quarto

Vista da varanda do quarto

BLOCOS VS CAMAROTES

Depende um pouco do seu estilo, mas aconselho a viver as duas experiências.

No bloco você sente a real energia do camarote de salvador. Ver o trio começar, sentindo toda aquela vibração, com o Farol da Barra no fundo e com toda aquela multidão cantando junta é inimaginável e impagável.

Os blocos começam a sair às 15h e são compostos por dois carros de som. O artista vai no primeiro trio e no segundo tem um bar e banheiros, mas calma pois em vários pontos do bloco tem carros de cerveja (skol a R$1,00!!!) e tem ambulante pra tudo que é lado com seu isoporzinho vendendo água e cerveja.

Onde é mais vazio? Não tem! rs É uma multidão na frente do primeiro trio uma multidão vai no meio, uma multidão vai atrás do segundo carro e uma multidão do lado de fora. É gente que não acaba mais!!

O trio demora de 5h a 6h para percorrer todo o circuito Barra-Ondina. É puxado. Ainda mais quando você pula e corre.

Em todos os blocos eu fui na frente do trio. Parecia ser mais tranquilo. Tinha espaço para curtir, pular, respirar, mas claro que também tinha os momentos de empurra em empurra em que você fica espremido na multidão e não tem outra opção a não ser se deixar levar rsrs.

O camarote é um esquema completamente diferente. Começam mais tarde, geralmente às 18h e localizam-se (a maioria) no meio do circuito. A estrutura é fantástica! Muitos são all inclusive de comida e bebida. Tem local para customização de abadá, tem SPA e salão de make e cabelo. Costumam ter shows que começam lá pra 1h da manhã.

Mesmo com abadá a galera vai super arrumada para o camarote. Os brilhos estão em todas as peças das mulheres, seja na saia, nos acessórios ou até mesmo no abadá.

Tem DJs que ficam tocando entre um bloco e outro. Nos camarotes mais famosos os artistas costumam parar o trio e fazer um showzinho pra galera do camarote. É legal poder ver de outro ângulo e sentir que o artista tá cantando pra você.

A decisão tem que ser sua de ir em um ou no outro. Casais costumam ir nos camarotes pois é um esquema mais tranquilo. Se você não gosta de empurra-empurra, não suporta gente suada te encostando e não quer terminar o dia toda desgrenhada o camarote é o seu lugar. Mas se você quer ir pra sentir a energia boa da Bahia e dos bahianos, vai no chão, de bloco.

VALE COMPRAR ANTES?

Todos os meus blocos e camarotes comprei com antecedência (com exceção do Cerveja e Cia de sexta).

Na real o que vale mesmo comprar antes são os blocos, pois eles ficam bem caros no dia. Eu dei sorte de conseguir o Saulo pelo mesmo valor que minha amiga tinha comprado na internet. Já os camarotes achamos que foi furada. A boa mesmo é comprar no dia, de manhã cedinho, lá no “mercado negro de abadás”. Indo cedo é possível conseguir por um preço muito mais em conta que na internet.

Atenção, fiquem atento pois, como em todo lugar, tem gente que vende abadá falsificado. Olha bem a qualidade e os detalhes e vejam com mais de um vendedor.

#MINHAVIAGEM #SALVADOR2014

Chegamos na sexta-feira por volta de 14h. Compramos nossos abadás no Folia Bahia e nossa troca foi no Fiesta Hotel. Chegamos pra trocar por volta de 17h00 e estava bem vazio. Foi super, hiper rápido. No saguão hotel tem umas meninas que fazem customização de abadá e tem um cara que compra e vende abadás.

Era dia de Saulo e eu não tinha comprado. Comemos no Bob’s (Rua Marques de Caravelas) e vimos que por ali tinham vários cambistas. Aliás, gente vendendo abadá é o que não falta ali perto da Av. Oceânica. Consegui desenrolar o Cerveja e Cia do Saulo por R$ 300,00. Eu mencionei ali em cima para prestar atenção em abadá falsificado, correto? Pois então, descobri isso na marra. Depois que paguei e vesti vi que o meu abadá tinha um detalhe diferente do original. No original o óculos da latinha era em alto relevo e a minha não era. Corri para o hotel e passei um cola daquelas de brilho e fui na cara e na coragem. No final deu tudo certo rs

Estava muito ansiosa e o primeiro bloco é uma sensação que não saberia descrever aqui.

Saulo (Cerveja e Cia) - o primeiro

Saulo (Cerveja e Cia) – o primeiro

Sábado foi dia de Ivete! Bloco saiu as 15h30. Foi um dos blocos mais felizes que eu fui. Acho que o meu preferido. Foi animado DEMAIS! Essa mulher é pura energia.

Ivete (Cerveja e Cia) - o mais alto astral

Ivete (Cerveja e Cia) – o mais alto astral

Quando o bloco terminou voltamos lá pro meio do circuito e fomos para o Camarote do Reino. Tinha show do Psirico e valeu demais, mesmo super cansada!

Fazendo graça no Camarote do Reino

Fazendo graça no Camarote do Reino

Domingo nossa programação era Me Abraça (Asa) e Camarote Oceania. Estávamos cansada do dia anterior e achamos que seria puxado demais fazer bloco + camarote de novo. Conseguimos vender o camarote e ainda ganhar um dinheirinho rsrs.

Antes de ir ouvi muitos falarem que o Me Abraça é o melhor bloco de salvador. Sinceramente? Deixou muito a desejar. Sem dúvidas é o bloco com maior concentração de gente bonita. E é uma pegação sem limite, chega a ser estranho. Mas o Durvalino cantou muitas músicas que eu não conhecia, o bloco demorou muito e o som não estava tão alto. Lá na frente a gente quase não ouvia e, quando chegou em Ondina, a galera parecia que tava em prossição hahahaha. Saímos do trio antes de chegar ao fim.

Concentração pro Me Abraça

Me Abraça – o bloco com mais gente bonita de Salvador

Segunda era o dia. Era dia de Bell. Dia de despedida do Camaleão. “Foi tão intenso, tão bonito, tão maravilho, cada segundo…”.

"Vem viver o verão, vem curtir Salvador. Eu sou camaleão, deixa eu ser seu amor..."

“Vem viver o verão, vem curtir Salvador. Eu sou camaleão, deixa eu ser seu amor…”

"Gostei, Chiclete é emoção. Meu bem naquele ano eu me tornei Camaleão"

“Gostei, Chiclete é emoção. Meu bem naquele ano eu me tornei Camaleão”

Depois fechamos com o Camarote Cerveja e Cia. Como cheguei cedo pude ver alguns trios bem legais. Destaque para a Daniela Mercury e Harmonia do Samba (L). Teve show do Parangolé e Leo Santana, mas a boate era tão pequena que não conseguimos nem entrar pra ver o show.

 

Salvador foi uma experiência incrível. Indico pra quem gosta e pra quem não gosta. Não tem como não pular e se divertir (nada que umas cervejas a R$1,00 não ajudem).

Para quem não quiser esperar vai rolar um carnaval fora de época nos dias 14 e 15 junho desse ano por causa da Copa do Mundo.

Difícil despedida

Difícil despedida

Deserto do Atacama – O mais seco e encantador do mundo!

Em 2011 fiz uma das viagens mais sensacionais da minha vida. O Deserto do Atacama te tira de todos os cenários conhecidos e te transporta para um mundo rústico, completamente novo e encantador!!!

O local mais seco do mundo

Localizado na Região Norte do Chile, possui mais de 1.000 km em território chileno, onde apenas cerca de 200 km é explorado pelo turismo. É considerado o deserto mais alto e mais seco do mundo, pois chove muito pouco na região – alguns locais nunca choveu –, chegando a demorar décadas para que se chova na região.

As temperaturas no deserto variam entre 0ºC à noite e 40ºC durante o dia. Em função destas condições, existem poucas cidades e vilas no deserto, uma delas muito conhecida é San Pedro do Atacama que tem pouco mais de 3.000 habitantes e está a 2.440 metros de altitude. Por ser bem isolada, é considerada um oásis no meio do deserto e o principal ponto de encontro de viajantes do mundo inteiro – mochileiros, fotógrafos, astrônomos, cientistas, pesquisadores, motoqueiros, aventureiros – entre muitos outros. Apesar de pequena e isolada no coração do deserto mais árido do mundo, San Pedro possui uma vida agitada, mesmo depois da meia noite, os bares e restaurantes ficam lotados com pessoas conversando e planejando as aventuras do dia seguinte.

A principal cidade para se conhecer a parte turística do deserto é San Pedro de Atacama. É uma cidade bem pequena, atualmente muito voltada para o turismo e o coração do Deserto do Atacama. Seu centro é formado por uma dezena de quarteirões no máximo. De suas pequenas ruas de terra, quase sem movimento de veículos, saem os passeios das várias agências que percorrem a parte turística do deserto. A arquitetura local é definida por construções de adobe de no máximo dois andares, com um charme particular.

Pracinha da cidade

Pracinha da cidade

#ficadica:

– A Calle Caracoles é a rua principal, que tem uns 5 quarteirões e nela você achará todas as agencias de turismo, restaurantes, cybers, cambio, supermercados, lojas de artesanato… em resumo: tudo. Outras ruas perpendiculares também têm alguma coisa, mas não na quantidade da Caracoles. Para um planejamento de gastos, em San Pedro o minuto de ligação para o Brasil custa $350, 1,5L de água $750 (lembre-se de comprar a Next libre de sódio) e 1h de internet $800.

– Vale ressaltar que San Pedro tem 2 caixas eletrônicos: um nesta praça principal perto da loja da Entel e outro no início da Caracoles, quase esquina do Hotel Taka-Taka. Na alta temporada (dez-fev) o caixa não vence os saques e ficam dias sem dinheiro, desta forma, utilize seu cartão ou leve dinheiro em espécie; eu utilizei o caixa eletrônico 2x e em ambas tinha dinheiro, mas nunca confie, não deve ser legal ficar sem dinheiro no meio do deserto.

#minhaviagem

Fui em julho e, portanto estava um frio de cortar a alma. Se não bastasse ainda peguei a coisa mais rara do deserto: chuva!! Choveu muitos dias que estive lá e isso era impressionante até para os moradores.

Chuva, no deserto?!

Chuva, no deserto?!

San Pedro do Atacama pode ser conhecido também por San Perro do Atacama, afinal tem mais cachorro que gente na cidade rs. Eu adoro! Curti e fiz amizade com todos rs.

Amigos locais

Amigos locais

CHEGANDO E SAINDO

San Pedro de Atacama é a melhor opção como base para conhecer o Deserto do Atacama. Há duas formas para chegar à cidade – por vias terrestres ou por avião. Em qualquer uma das opções, uma passagem pela cidade de Calama é praticamente obrigatória.

Calama é uma cidade grande, no meio do deserto, com cerca de 140 mil habitantes. Por ser capital da província e principal cidade da região, possui uma pequena rodoviária e um aeroporto que recebe aviões de médio porte. Facilmente se chega à cidade de avião a partir de Santiago, em um vôo com duração de 2 horas. As principais companhias que fazem o trajeto são a Lan e a Sky Airlines.

De ônibus, a partir de Santiago, é cerca de 22 horas de viagem. As principais empresas para o trajeto são TurBus e Pullman Bus. Outras empresas fazem trajetos para cidades mais próximas de Calama como Iquique, Arica e Antofagasta.

De Calama para San Pedro há duas opções viáveis em via terrestre: van e ônibus. As vans saem direto do aeroporto e deixam os passageiros na porta do albergue ou hotel em que estiver hospedado em San Pedro. Já os ônibus a partir de Calama partem da rodoviária ou de suas garagens. Assim, se for de avião, a melhor opção é fazer o deslocamento de van e, se for de ônibus, o melhor deslocamento é de ônibus mesmo porque o deslocamento de táxi do aeroporto até a rodoviária é caro e sai elas por elas.

#minhaviagem

Fomos de Santiago para Calama e, em Calama, pegamos o transfer da empresa Licancabur  para San Pedro do Atracama. Achei o aeroporto em Calama um caos. Provalvemente porque peguei um época com chuva, que é raríssimo e, ficou notável que o aeroporto não tinha estrutura para aquele tempo. Haviam vários baldes espalhados pelo aeroporto com goteiras e poças de água. O que isolou alguns guichês e deixou tudo uma confusão. O engraçado era ver as pessoas comemorando quando chamaram o voo para embarque, no maior estilo gol em copa do mundo hahahaha

O caminho de Calama para San Pedro encanta, pois nunca havia estado em um local completamente isolado. Não há quase vegetação e você pode ver a pista sem um fim. Isso pra mim foi encantador. Aquela estrada que vai além do que se vê.

O motorista, muito solícito, nos viu surpreendido pelo mundo que estávamos adentrando e parou no caminho para tirarmos uma foto do alto.

sem fim

sem fim

SOROCHE

O soroche (‘mal de altura’) é causado pela baixa pressão atmosférica (e consequentemente, de oxigênio) encontrada nas montanhas de grande altitude. O risco de soroche surge quando se sobe rapidamente a altitudes maiores que 2500m. Estar fisicamente ‘em forma’ não impede que você sofra de soroche.

Com baixa pressão de O2, os glóbulos vermelhos (hemácias) não conseguem pegar a quantidade mínima de oxigênio para o correto funcionamento do metabolismo , não ‘rendem’ o que deveriam. Como não há como aumentar a eficiência das hemácias presentes, o organismo encontra saída na produção de uma quantidade extra de hemácias para transportar o oxigênio. O descanso de alguns dias serve para que o corpo produza estas hemácias extras. Existem algumas outras alternativas para tentar escapar ou amenizar o soroche. O guia Lonely Planet: Peru diz que a melhor maneira é passar umas 2 noites (se possível) a cada subida de 1000m e fazer atividades mais light no período de adaptação. Como a altitude altera a pressão arterial, sites especializados aconselham uma consulta médica para quem tem problemas de pressão, antes da partida.

Sintomas:
Na grande maioria dos casos os sintomas são leves e duram de 4 a 24 horas, dependendo de cada pessoa. São eles:

  •   Dor de cabeça (95%)
  •   Náuseas e vômitos (70%)
  •   Tontura (58%)
  •   Perda de apetite
  •   Insônia
  •   Falta de ar aos médios esforços

Normalmente no segundo ou terceiro dia da viagem você já estará aclimatado e esses sintomas diminuirão bastante, desaparecendo por volta de 5 dias. É muito importante, portanto, nesse período de aclimatação tomar algumas medidas para amenizar esses sintomas e evitar complicações, como o edema agudo pulmonar e cerebral

Enjôo, tontura, má digestão, vômitos, sensação de cansaço, falta de ar, diarréia, dor de cabeça, coração acelerado, sangramentos no nariz entre outros piriris. Os sintomas e a intensidade do mal estar variam de pessoa pra pessoa. Ha pessoas que nem se quer sentem nada e outras que sentem tudo isso que está citado acima e muito mais

HOSPEDAGEM

Ficamos hospedado no Hostel La Ruca  A negociação foi super fácil e os responsáveis são muito gentis. Tudo muito simples, como todas as outras coisas na cidade. O único ruim do quarto era o banheiro minúsculo, mas de resto nota 10. O atendimento era muito bom, estavam sempre dispostos a resolver tudo que pedíamos, no café da manhã sempre nos perguntávamos se queríamos que preparassem algo. Outro ponto importante foi a localização. Era numa ruela movimentada e com comercio que desembocava na rua principal. O inconveniente é que havia uma leve inclinação no trecho, o que não seria absolutamente nada aqui, mas lá, com toda a altitude, me sentia ofegante no final da subidinha rsrs

Lama em uma cidade não preparada para chuva

Lama em uma cidade não preparada para chuva

Área de coffee

Área de coffee

área comum

área comum

quarto privativo

quarto privativo

PRINCIPAIS ATRAÇÕES

O deserto é composto de diferentes paisagens, que são também os principais atrativos turísticos do local, o Valle de La Luna, o Valle de La Muerte, os Geysers del Tatio, Grande Salar de Atacama,as Termas de Puritama, as Ruínas de Tulor, os vulcões Licancabur e Lascar, entre outros.

#minhaviagem

Durante o período de pesquisa pré-viagem vi algumas das agências de turismo que são indicadas por lá como: Desert Adventures, Atacama Connection, Colque Tuor e Maxim Experience.

Como tínhamos tempo, assim que chegamos fomos dar uma volta na “cidade” e visitamos as agências. Acabamos por escolher a Atacama Connection, pois nos passou maior segurança e nos deu “descuentos” melhores. Quantos mais passeios você fechar na mesma agência, maior o desconto que consegue pleitear.

VULCÃO LICANCABUR

Um gigantesco vulcão praticamente extinto, pois não há registros de sua última erupção. Possui 5.930 metros de altura e fica na fronteira com a Bolívia, por onde deve começar a escalada para os mochileiros desbravadores.

A subida no vulcão pode ser feita em um dia e só, mas na companhia de um guia. É um desafio pela altitude e aridez do ar, além do frio, apesar de quase sempre a subida ser feita sob céu aberto e sol a pino. A coca é uma boa aliada para alcançar sucesso na ascensão ao cume. A subida completa dura entre 6h e 10h, dependendo do ritmo, e a descida, normalmente, a metade do tempo de subida. É essencial aclimatação de pelo menos um dia em San Pedro de Atacacama e adjacências. Na cratera do vulcão, há um belo lago.

O vulcão é visível em praticamente todos os passeios pelo deserto.

#minhaviagem:

Não tive coragem de subir, não achei que teria preparo físico dado que andar 10m me deixava cansada. Mas o vulcão realmente pode ser visto de qualquer lugar e é lindo!

Licancabur

Licancabur

VALLE DEL ARCO-ÍRIS

Um lugar diferente, mágico e solitário para poder obter a melhor apreciação das figuras e representações talhadas em pedras e petroglifos (arte rupestre).
Uma volta ao passado imaginando como foi a vida e costumes das culturas indígenas.
Um trekking pelos cerros de cores purpuras, amarelos, azuis, vermelhos e cinza, e desfrutar das esculturas em pedra com erosões faram de sua excursão um passeio inesquecível.

#minhaviagem

Esse foi o primeiro passeio que fiz no Atacama e foi divertido e assustador (vocês vão entender o porquê).

Nossa primeira parada é para ver os famosos petroglifos deixados pelas culturas indígenas. O guia conta a histórica e o “significado” de cada desenho.

DSCF4621

Petroglifos

Após isso vamos para o valle del Arco-íris e você descobre que as montanhas podem ser um show de cores. O guia te coloca no ponto de início e fala para você ir descendo o vale que ele irá te encontrar no final com o carro.

DSCF4518

Descendo o vale

DSCF4511

montanhas multicoloridas

DSCF4590

Multicolor

E foi aí nosso momento assustador. As pessoas ficam meio espersas tirando foto enquanto o guia está conosco e, no momento em que ele deu as orientações, nós não estávamos por perto. Fomos andando com os outros casais e quando dei por mim estávamos muito longe. Fiquei preocupada de ainda ter que voltar tudo e resolvemos voltar logo pro início. E tal que quando chegamos no início, supresa: não tinha ninguém!!!  Decidimos por andar todo o vale de novo, mas já não víamos mais ninguém do grupo. Estávamos literalmente perdidos no deserto. Foi bastante desesperador começar a pensar em opções de como passar a noite ali rsrs. Até que subimos numa pedra alta e vimos a van láááá longe. Começamos a nos sacudir e gritar e alguma boa alma deve ter visto pq a van parou e deu meia volta. Era o nosso guia que estava rodando ali nos procurando.

No final, tudo deu certo, mas foi uma estréia e tanto de passeios hahahahaha. Nos próximos a gente colou nos guias e não largava de vista nunca mais!! Hahahahaha

SALAR DE TARA

Salina próxima às fronteiras do Chile com Argentina e Bolívia, perto do Paso de Jama. Situa-se a cerca de 4.300 metros de altura e possui uma paisagem fenomenal, com direito a lago, flamingos, vicunhas e llhamas. O passeio com agência inclui ainda uma passagem pela salina de Aguas Calientes.

#minhaviagem

Como tenho muita sorte peguei de tudo no Atacama, de chuva à neve. Não consegui fazer muitos passeios pois a neve estava bloqueando o percurso. Esse foi um dos passeios bloqueados.

LAGUNAS MIÑIQUES E MISCANTI

As lagoas Miñiques e Miscanti são as mais altas do mundo e estão localizadas a cerca de 4.200 metros de altitude. Aqui podem ser vistos flamingos, vicunhas, patos e raposas com muita facilidade. A paisagem é deslumbrante, com vulcões nevados, em sua maior parte extintos, ao redor das lagoas que variam de cor conforme a estação do ano e hora do dia que contrasta com a vegetação amarelada. A água destas lagoas é proveniente das chuvas de verão que foram separadas por uma erupção do Vulcão Miñiques.

A paisagem da área se destaca com seus vulcões homônimos que, junto com o cordão montanhoso, formam a base destas lagoas. Há milhões de anos atrás, a paisagem deste lugar era completamente diferente; as águas provenientes da alta cordilheira escorriam livremente frente aos vulcões Miscanti e Miñiques, chegando até o Salar de Atacama, lá embaixo a 2400msnm. Uma erupção do vulcão Miñiques ocorrida há menos de 1 milhão de anos seria a causa da criação das lagoas que vemos neste passeio. Esta erupção vulcânica parou o avanço das águas e começou a estancá-las formando as 2 lagoas, onde são abastecidas pelas chuvas de verão e degelo das altas montanhas.

#minhaviagem:

Passeio fechado por causa da neve😦

LAGUNA CHAXA

Normalmente os tours que vão até as lagunas Miñiques e Miscanti incluem a Laguna Chaxa no seu roteiro. A Laguna Chaxa é uma lagoa salgada localizada no Salar de Atacama, por isso é tida como a principal porta de entrada da salina. Aqui na Chaxa que se podem avistar centenas de flamingos, de todas as espécies andinas.

VALLE DE LA LUNA E VALLE DE LA MUERTE

Próximo à cidade de San Pedro, na Cordillera de La Sal, está o Valle de La Muerte, um vale com cerca de 2 km de extensão. É a atração mais próxima de San Pedro, porém só se chega aqui de tour, carro ou bicicleta. Por conta própria se aproveita melhor o vale. No local pode-se ainda praticar sand-board nas dunas. O Valle de La Muerte não está dentro da Reserva Nacional Los Flamencos, mas normalmente é feito junto com o Valle de La Luna, que fica um pouco mais distante, cerca de 14 km de San Pedro. O vale localiza-se ainda na Cordillera de La Sal e possui inúmeras formações rochosas erodidas pelo vento e terra vermelha que em muitas partes é coberta de sal, assemelhando-se à paisagem lunar. É comum os tours organizados pela agência disputarem o melhor local para ver o pôr-do-sol do alto de uma das dunas. De carro, uma opção é visualizar o nascer do sol no local. De bicicleta, deve-se vir preparado com lanternas para se precaver de qualquer retorno pela estrada no meio do deserto à noite, assim como muita água e protetor solar.

Valle de la Muerte foi batizado com este nome, segundo a lenda que antigamente as pessoas morriam ao tentar cruzá-lo e ossos de pessoas e animais eram encontrados e confundidos com pedaços naturais de gesso. Outra lenda, diz que quando foi descoberto era comparado a Marte e por uma confusão de fonemas, pensaram que era Morte. Tal como determina a secura do Deserto do Atacama, ninguém pode viver neste vale. Porém é possível admirá-lo: O Valle de la Muerte é um festival de cores e uma eterna mudança de formas.

Rochas e mais rochas e uma explicação de uma era inimaginável pois ali é a divisão da Cordilheira dos Andes e a Domeyko por diversos atritos das placas tectônicas, onde podemos ver pelas fissuras da rocha o sentido da friccção e como foi a formação.

#minhaviagem

Passeio clássico do Atacama. Não me encantou muito em um primeiro momento, mas como tinha poucas opções por causa do clima, eu fui.

Muita pedra, vento e areia, mas as histórias que o guia conta são bem interessantes. Tem um ponto no Valle de la luna que é possível ouvir o estalar das pedras.

DSC02980

Valle de La Luna

DSCF4990

Valle de La Luna

Acampamento mineiro histórico - Valle de La Luna

Acampamento mineiro histórico – Valle de La Luna

Depois vamos para o Valle da Muerte para fotos. Estava um vento tão frio, mas tãããão frio que foi a parada mais rápida. Só para os corajosos tirarem fotos e voltar correndo pro transfer.

DSCF5067

Valle de la Muerte

Friiio de rachar a alma

Friiio de rachar a alma

Depois da visita aos vales o guia nos leva no ponto mais alto do Deserto onde a vista é inacreditável!!!!

Ponto mais alto

Ponto mais alto

*.*

*.*

ALDEA DE TULOR

A Aldea de Tulor não é um setor específico da reserva, mas é uma área com habitações com mais de 3.000 anos de antigos povos atacamenhos dentro da reserva e muito próxima ao Valle de La Luna. Foi descoberta pelo padre Gustavo Le Paige quando o vilarejo inteiro ainda era coberto por areia e terra.

Após um projeto que ainda está em andamento de escavação e preservação da aldeia de Tulor, é possível visitar e conhecer pouco mais de 5% de suas construções. A área visitada é chamada de setor 1 da aldeia, mas existem outros 9. O local é tido como um dos sítios arqueológicos do mundo mais ameaçados de sumir do mapa.

Pode-se passar por aqui de bicicleta, carro ou em tour.

SALAR DE ATACAMA

O Salar de Atacama possui cerca de 3 mil km², fica a 4.500 metros de altura e é a maior salina do Chile. É formada pelas águas do degelo da Cordilheira dos Andes que chegam à bacia, ficam sem saída, e evaporam, deixando sais da cordilheira na terra. A paisagem é bem diferente do Salar de Uyuni, pois no Atacama são cristais de sal de diversos tamanhos, efeito causado também pela enorme variação de temperatura – de 0°C à noite a 40°C no meio do dia, onde a umidade relativa do ar chega a quase 5%.

O Salar de Atacama possui uma superfície aproximada de 320.000 ha. e são observados crostas de sal ricas de lítio, geradas pela constante acumulação de cristais produzidos pela evaporação das águas subterrâneas de intensa carga salina. Atenção: Não beba essa água, pois não é potável e nem estamos acostumados a uma água com muita concentração de sal e minérios.

A Laguna Cejas possui águas com alta concentração de sal que fazem com que um mergulho em suas águas seja inesquecível, pois é impossível afundar! Pode se conhecer uma parte da salina indo até a Laguna Chaxa ou ir até a Laguna Cejas e os Ojos del Salar conhecer outra parte através de passeios organizados pelas agências, carro e até bicicleta – até a Laguna Cejas.

#minhaviagem

O passeio começa com uma visita rápida a Laguna Cejar para banho. A laguna é extremamente salgada portanto o guia leva um galão com água doce para a gente se limpar antes de se vestir pq senão o sal incomoda. Nós não tivemos coragem de entrar na água pois estava super gelada, no máximo molhamos a perna, mas tinha gente de molho rsrs.

É realmente muito sal. Só de molhar a perna,  mesmo levantando bem a calça, as barras da calça chegaram a ficar duras quando o sal secou. Muito surreal.

Lagunas Cejas

Lagunas Cejas

Quem tem medo de água fria?

Quem tem medo de água fria?

Licancabur nos acompanhando o tempo todo!

Licancabur nos acompanhando o tempo todo!

Onipresente rs

Onipresente rs

o Salar do Atacama e aquele mundo de sal que mais parece pedra. Os flamingos também fazem seu show para os visitantes.

Espelhos d'água

Espelhos d’água

Salar de Atacama

Salar de Atacama

Salar de Atacama

Salar de Atacama

Crosta de sal

Crosta de sal

Após o Salar nós paramos nos Ojos del Salar para fotos. São duas mini lagoas literalmente no meio do deserto. Lindo de se ver.

Ojos del Salar

Ojos del Salar

Ojos del Salar

Ojos del Salar

E, para fechar bem o passeio, o final é um MA-RA-VI-LHO-SO pôr do sol na laguna Tebinquiche com direito a pestiscos, Pisco Sour e conversas animadas.

LagunaTebinquiche

Laguna Tebinquiche

Amigo que o guia levou para nos acompanhar nos petiscos e Pisco Sour

Amigo que o guia levou para nos acompanhar nos petiscos e Pisco Sour

O pôr-do-sol mais livre do universo

O pôr-do-sol mais livre do universo

Um dos passeios que mais valem a pena.

PUKARA DE QUITOR

Antiga fortaleza (pukara = fortaleza) de pedra, pré-incaica, construída por volta do século XII. Depois, foi utilizada por incas no combate a colonizadores espanhois que conquistaram a fortaleza e aqui decepavam os líderes incas, exibindo suas cabeças para a população. Assim, ficou conhecida também como Pueblo de Las Cabezas.

Suas ruínas foram reformadas por duas vezes, mas não estão tão bem preservadas. Fica na Cordillera de La Sal e muito próxima à cidade de San Pedro, podendo inclusive ser alcançada a pé com uma pequena caminhada de 2 km.

TOCONAO

Pequena vila a 2.485 metros de altura com algumas lojas de artesanato local, muitas feitas em pedra calisa – uma rocha vulcânica em abundância no local. Destaque para a torre com o sino da Igreja no centro da praça principal, o único sino em todos o território chileno que não fica em uma torre na própria igreja, fato que a torna especial e patrimônio histórico chileno. Detalhe para a porta da torre construída de cacto. Outro fato curioso da cidade são suas construções, onde quase todas são de formato quadrangular.

O nome da cidade provém da palavra indígena “toco”, que significa pedra. Nos arredores da mesma, podem ser vistos lhamas, guanacos e vicunhas. A cidade é acessível de ônibus, carro ou por excursão, normalmente incluída no tour das Lagunas Miñiques e Miscanti. Próximo à cidade se localiza a Quebrada de Jerez.

#minhaviagem

Passamos na vila a caminho (ou retorno) de algum passeio que, sinceramente, não me lembro qual. É uma vila muito charmosinha, mas não tem muito o que ver.

Sempre há uma igrejinha

Sempre há uma igrejinha

Toconao

Toconao

QUEBRADA DE JEREZ

A Quebrada de Jerez é literalmente um oásis no meio do deserto. É um cânion com 25 metros de profundidade no meio do deserto onde corre um rio que cria algumas pequenas cachoeiras e abastece San Pedro e, em torno do mesmo, brota vida em uma bela vegetação que preenche totalmente a visão, contando com árvores de diversos tamanhos e espécies, muitas frutíferas, que foi primeiramente cultivado pelos atacamenhos.

A quebrada é um setor do Valle de Jerez e é acessível de ônibus, carro ou por excursão, normalmente incluída no tour das Lagunas Altiplánicas. Pertence aos limites da cidade do Toconao. Há algumas agências que promovem pequenas escaladas no local.

SALAR DE TARA

Um imenso lago raso e azulado que se estende ao longe até se tornar completamente sal, cercado pelo Cerro Medano, pelo vulcão Caichinque e por uma vegetação de tom amarelado, conjunto que faz do local uma paisagem maravilhosa.

Está a 3.950 metros de altura e possui 46 km² com muitas lagoas que surgem no meio do sal, contrastando em cores degradês com as montanhas e vulcões ao fundo, dando a sensação de se estar observando uma tela pintada por um grande mestre da pintura.

A passagem pelo salar algumas vezes está incluída no tour das Lagunas Altiplánicas.

EL TATIO

El Tatio fica a 4.300 metros de altitude. Seus famosos gêiseres só são visíveis em sua magnitude durante o amanhecer e algumas horas depois, por isso os passeios para o local saem no meio da madrugada de San Pedro de Atacama, para chegar aqui por volta de 6h. El Tatio é terrivelmente frio antes do sol aparecer, sempre com temperatura negativa e sensação térmica pior ainda. Não deixe de se agasalhar para visitar os gêiseres e não visite logo no primeiro dia sem antes se aclimatar.

Os Geisers del Tatio se encontram em uma área de forte atividade geotérmica devido ao vulcão homonimo que está ali presente. As imponentes fumarolas emergem à superfície através de fissuras da crosta terrestre, alcançando uma temperatura de 85ºC e uns 10m de altura, onde se originam pelo contato do rio subterrâneo com as rochas extremamente quentes, aquecidas pela lava.

É duro acordar cedo (ou nem dormir!) e enfrentar o frio, mas é recompensador tomar um delicioso café da manhã esquentado nos gêiseres enquanto espera o dia amanhecer para criar uma das visões mais lindas do Chile. Algumas horas depois, já com a paisagem sem tanta fumaça dos gêiseres, a temperatura começa a subir encorajando alguns aventureiros a experimentar uma piscina termal no campo de gêiseres com temperatura da água variando entre 32°C e 36°C. Os gêiseres de El Tatio são o campo de gêiseres mais alto do mundo.

Próximo a El Tatio estão ainda os Baños de Puritama, às vezes incluídos nos passeios das agências ao local.

#ficadica:

– Geisers del Tatio mas lembre-se, independente de ser inverno ou verão, você estará abaixo de 0ºC e para isso deve se preparar. O tour sai cedo, 4am. Sim, às quatro horas da madrugada. Tudo porque a maior atividade nos geisers é entre as 6am e 7am devido a pressão atmosférica, e para chegar até lá (+/- 4200msnm) demora cerca de 2 horas. Esteja pronto, pois o mini-bus passa e o máximo que faz é buzinar para não acordar o hotel/hostel inteiro. Um dia antes procure dormir cedo, fazer a última refeição do dia bem leve e não ingerir álcool, e se possível, tome um chá de coca, pois subiremos mais de 2000msnm em 2h. Já que o frio irá incomodar um pouco, é bom minimizar os efeitos do Soroche ou Mal da Altitude. Também, pense em deixar na mochila um suco em caixinha ou uma barra de cereal, pois ou café da manhã (incluído no passeio) será só as 8am, ou veja onde você está hospedado se eles podem deixar pronto um mini café da manhã para vocês as 3h45am.

#minhaviagem:

Não consegui fazer o passeio por conta da neve😦

TOUR ASTRONÔMICO

Todos falam deste projeto, todos falam dos benefícios; em resumo serão centenas de antenas gigantes mapeando o universo, desde a menor estrela até os novos planetas. Por que no Atacama? Primeiro, a altitude. Estas antenas são construídas a 5000msnm (e na Jordânia a altitude máxima é 2000msnm), e em segundo, a paz. Porque gastar, mais de US$ 400 milhões, num projeto em uma área suscetível a conflitos é muito risco.

E observar o céu mais limpo do mundo é bem diferente que observar o céu de São Paulo. A SPACE é a única agência que realiza esses tours, e não é uma agência de turismo, é um escritório do astrônomo francês, que se mudou para o chile com alguns mega-telescópios, e é responsável pelo passeio. É realizado todos os dias do mês, exceto nos dias de lua cheia devido à claridade. Existem 2 saídas noturnas, a única diferença entre elas é o idioma, pois sempre é dividido em uma saída inglês/francês e outra espanhol. Verifique na agência o calendário de saídas x idioma, eu recomendo ir sempre na primeira saída do dia, devido ao frio, pois quanto mais tarde, mais frio. E eles intercalam os idiomas para que sempre tenha opção no primeiro horário. Outra coisa importante é reservar, porque sempre lota e são apenas 21 pessoas por saída.

A casa/rancho do astrônomo francês, Alain Maury, que ele chama de Atacama Lodge fica a poucos quilómetros a sul de San Pedro, nem 15 minutos de mini-bus. Muito animado ele dá as boas-vindas a todos e começa a fazer bricandeiras sobre as nacionalidades e pergunta o que cada um espera deste passeio.

As explicações começam dentro do salão, onde com um buraco no teto, começa a mostrar o planetário que estamos vendo. É muito nítido, são muitas estrelas, nebulosas, constelações. É impressionante. Para ter uma ideia, o céu tem milhões de estrelas, mas a olho nú conseguimos ver no máximo 500.

E ele não deixa tudo no superficial. Explica sobre o que estamos acostumados a ver, Cruzeiro do Sul, Três Marias, etc, fala sobre a posição do céu, como cada país o vê e algo bem básico sobre a unidade métrica de distância: anos-luz. Feito isso passamos para a parte de fora onde estão os telescópios, cada um apontado pra uma parte e regulado da maneira onde se vê diversas coisas: os anéis de Saturno, nebulosas com diversas estrelas, as crateras da Lua, … O céu é o mesmo em toda parte do mundo, porém é visto conforme a latitude em que é observado. Por exemplo, na latitude de San Pedro de Atacama, podemos ver as Três Marias até as 17h, às 4am dá pra ver 2 nebulosas bem fortes que são 2 novas galáxias.

Com um poderoso laser, que a olho nú chega até as estrelas, o Alain mostra escorpião. E continua mostrando outras constelações que nós começamos a conhecer mais a fundo. Explica que uma estrela não existe mais, porém está brilhando pois a luz viaja a 18 anos-luz, isto é, ela emitiu a luz que vimos hoje há 18 anos atrás. Como uma que vimos e que soubemos que é uma das duas únicas estrelas que emitem luz desde o séc XXI. Ficamos mais de 1h admirando o céu pelos telescópios e depois somos convidados para tomar uma bebida quente e assim encerrar o tour.

#minhaviagem

Tiveram 2 momentos em que fiquei altamente frustada e chateada na viagem: o primeiro foi não conseguir ir nesse passeio astronômico e o segundo foi não conseguir atravessar para o Salar de Uyuni.

O céu, por si só, já é um espetáculo a parte no Atacama. É tão limpo, mas tão limpo que parece que as estrelas estão pintadas em fundo azul escuro. Poderia ficar horas olhando para cima. E imagino que esse passeio gastronômico seja incrível de bonito.

ONDE COMER

San Pedro de Atacama é uma cidade cara para se jantar. A melhor opção é frequentar uma padaria e comprar os ingredientes do seu sanduíche, mas se isso não lhe agrada ou não dá para repetir todo dia, selecionamos algumas dicas de mochileiros pelo fórum de restaurantes um pouco mais econômicos e outros nem tanto, mas que valem a pena pagar para comer. Uma outra opção é almoçar em restaurantes menos turísticos em ruas menos centrais, como a região atrás da Artesanía, próximo ao campo de futebol.

Antes, é bom saber que o prato mais fácil de se achar por estes lados é frango. Não deixe de provar um churrasquinho de lhama quando estiver passeando pelo deserto. Outro prato típico da região é a quinoa. que em muitos pratos substitui o nosso tradicional arroz.

Alguns restaurantes recomendados:

Blanco Restaurant – Excelente restaurante tradicional de San Pedro, no estilo “de autor”, que não deixa nada a desejar, só o preço. Tem uma decoração grega, meio lounge, e é tido como um dos melhores da cidade. Na alta temporada, não esqueça de reservar.

Café Adobe – Ótimo restaurante para jantar bem e pagar um pouco mais, acompanhado de uma ótima música e um ambiente super agradável. Possui pratos vegetarianos.

DSCF4400

Casa de Piedra – Restaurante com bom ambiente, bom atendimento e boa comida chilena e internacional, principalmente carnes. Bom preço.
DSCF4686
La Estaka – Antigo e excelente restaurante com um preço um pouco mais caro que a maioria no horário de jantar, mas com um menu del dia interessante durante o dia. Possui boas opções de carnes, crepes e pratos vegetarianos. Funciona também como opção noturna pra dançar na cidade.

Las Delicias de Carmen – Local para comer doces e empanadas deliciosas, além de pizzas.

Milagro – Restaurante aconchegante e romântico, com bom atendimento, para comer massa e pizza.

Pollo assado – Não tenho o nome do lugar mas não tem erro, fica na Calle Toconao, pertinho da Plaza de San Pedro. É um lugar bem pequeno e fica lotado, então se for nos horários mais concorridos não vai conseguir comer, mas isso não é problema porque você pode reservar o seu frango assado para cerca de 1 hora depois. O lugar só vende frango assado e batata frita. Para não cair na mesmice, um dia coma frango com batata, no outro só frando, e no outro só batata! 1/4 de frango + batatas = $1.750. As batatas você escolhe o tamanho pelo preço, a bandeja de $900 alimenta uma pessoa que coma bem.

Restaurante El Paso – Este é um achado interessante, porque fica no centro, na Calle Caracoles, quase ao lado do Hostel HI, é gostoso e barato. É o restaurante de um gringo, comi um prato bem servido de macarronada a bolonhesa por $2.000. Acho que foi a melhor comida que eu comi em San Pedro.

 

O Deserto do Atacama é uma viagem que você deve ir preparada. Desprendida de todas as mordomias e aberta para um mundo novo. Infelizmente (ou felizmente) vivi uma clima raro lá de chuva e muita neve e isso me impossibilitou alguns passeios, mas me serviu como motivação para voltar!

*Todas as informações deste post foram retiradas de sites da internet e de vivências pessoais.

Mi Buenos Aires Querido

  • Fuso horário: Mesmo fuso horário de Brasília, só possui uma hora a menos quando o horário de verão é aplicado em algumas regiões do Brasil.
  • Clima: Buenos Aires tem as quatro estações bem definidas. Sua temperatura média anual é de 16,5°C, com os meses de verão bastante quentes e úmidos, sendo que a temperatura varia entre 22° e 33°, com picos de 40°, onde são comuns as chuvas de verão….

clima

SOBRE MOEDA

#MINHA VIAGEM:

– Na primeira vez que eu fui troquei dólar por pesos no Banco de La Nacion do próprio aeroporto. Na segunda vez levei Reais. Troquei um pouco e, percebi que a cotação das lojas estavam melhores que o câmbio e então pagava tudo em Reais. Usei os pesos apenas para táxi.

* Cotação argentina http://dolarhoy.com/indexx.php

Banco América: a partir de R$ 300 ou $ 100 e tem que levar passaporte com carimbo de entrada ou identidade e o papel com o carimbo de entrada de turista em Buenos Aires. Fica na esquina da Sarmiento com San Martin, paralelo a Rua Florida. (Cambio América. 4393-0054. Sarmiento, 501, Centro.)

Banco De La Nación: Fica no aeroporto.

Banco Meridien: Fica na Florida, 200.

Paris Cambio: Reconquista com Sarmiento

Montevideo Cambio y Turismo: Florida, 580 com Tucumán.. É necessário identidade ou passaporte.

Cambio America: Sarmiento com a San Martin

* É muito importante para quem chega sexta-feira, por exemplo, lembrar que a maioria das Casas de Câmbio não funciona aos finais de semana.

DEVOLUÇÃO DE IMPOSTO SOBRE VALOR AGREGADO (IVA)

O governo argentino cobra de imposto 21% sobre os produtos vendidos em seu território onde podem ser devolvidos 16% para aqueles que vão levar seus produtos para o exterior. Para isso, é exigido um mínimo de ARG$ 70 por compra, em produtos fabricados no país. Não há prazo para se obter a devolução que é feita através de cheque ou creditado no cartão de crédito. Há postos de atendimento Tax Free Shopping em aeroportos e em centros urbanos.

#MINHAVIAGEM:

– Eu peguei a devolução no posto do aeroporto, mas fiquem atentos pois é uma fila gigantesca e demorada. Na primeira vez não sabia e quase nem tive tempo de ir no free shop pois fiquei muito tempo na fila. Na segunda eu já fui mais cedo pro aeroporto para fazer tudo com calma.

REQUISITOS PARA ENTRAR

Os visitantes brasileiros não necessitam de visto de entrada nem passaporte para entrar na Argentina. Basta a carteira de identidade original com emissão inferior a 10 anos (atenção: a carteira de habilitação não é aceita). Ao chegar deverão preencher uma tarjeta de turismo para apresentar junto com o passaporte ou carteira de identidade.

Telefones úteis:

Assistência ao Turista: 0800-999-2838

Delegacia do Turista: Atende consultas em inglês, italiano, francês, português e ucraniano.

4346-5748 / 0800-999-5000 / 4514-4253

Corrientes, 436

turista@policiafederal.gov.ar

Embaixada do Brasil na Argentina: 4515-2401 – Cerrito, 1.350

Consulado Geral do Brasil em Buenos Aires: 4515-6500

Carlos Pellegrini, 1.363, Retiro

diversos@interprov.com.ar

http://www.brasil.org.ar

Emergências Médicas: O serviço de ambulâncias para emergências (SAME) é gratuito.

SAME – Ligação gratuita – 107

Os hospitais públicos que estão à disposição do turista atendem urgências durante as 24 horas do dia de forma gratuita.

TRANSPORTES

Ônibus

Conta com mais de 180 linhas e é o meio de transporte mais usado pelos portenhos. As passagens são compradas nos próprios veículos que só aceitam moedas e funcionam 24 horas por dia.

Metrô

Conta com cinco linhas em funcionamento, com mais de 40 km de extensão, e mais uma sexta linha em construção. A Linha A é também uma atração turística porque ainda conserva os trens que se utilizavam em princípios do século XX, de 1913, primeiro metrô da América Latina. A passagem é comprada nas estações através de cartões.

Site: Subte.com.ar

metro

OBSERVAÇÃO: vive lotado!

Táxis

Padronizados na cor preta com teto amarelo. Eles são melhores para percorrer pequenas distâncias.

Remises

Espécie de rádio-táxi, que são a melhor opção para viagens de média e longa distância. A vantagem é que o preço final está previamente estipulado e, portanto, não aumenta com um engarrafamento, como acontece com os táxis. Por questão de segurança, convém sempre contratar o serviço em agências autorizadas ou por telefone.

#MINHAVIAGEM

Em ambas as vezes não utilizei ônibus, apenas metrô. O metrô é bem completo e te leva a todo e qualquer canto da cidade. Para a noite acabava por utilizar o táxi já que é barato.

– A corrida de Ezeiza até o micro centro dá mais ou menos 90 pesos. Tem uma empresa no aeroporto – esqueci o nome da mesma, mas é um guichê gigante e azul – que cobra os 80 pesos na ida e dá um papel com desconto se você ligar para a cooperativa e fizer o trajeto de volta. Na volta eu paguei por volta de 70 pesos.

#FICADICA

– Não adianta muita coisa dizer pro taxista Avenida Santa Fe, 3874. É melhor você procurar saber que rua cruza com a Avenida Santa Fe nessa altura. Nesse caso são as ruas Armenia e Malabia. Você deve dizer ao taxista Avenida Santa Fe, 3874, entre Armenia y Malabia. Acredite: isso vai te economizar tempo, umas voltinhas a mais e $$.

HOSPEDAGEM

#MINHAVIAGEM:

– Na primeira vez fiquei hospedada no quarto particular do hostel Portal del Sur (centro da cidade). Uma boa localização, perto do metrô, de bares, supermercado e havia movimento na rua pois ao lado do hostel tinha uma boate.

O quarto era no segundo andar, se não me engano. Podíamos usar escadas ou um elevador de 1900 e vovó garota.

Paguei 180 pesos de diária

– Importante: Pelo menos na Argentina, os Albergues da Juventude não aceitam cartões de crédito e você tem que pagar, logo de cara, toda a sua estadia + 20 pesos, que serão devolvidos no check out caso você não dê nenhum prejuízo ao Hostel, como perder chave ou quebrar alguma coisa.

– Na segunda vez fiquei no hotel, no centro da cidade. Também perto do metrô de alguns restaurantes e acho que até perto da Rua Florida, mas a noite não havia movimento na rua e isso nos inibia e acabávamos usando mais o táxi.

A CIDADE

Algumas dicas para facilitar o deslocamento:

* Cada quarteirão é uma “cuadra”.

* As casas / edifícios são numeradas numa sequência bastante lógica, números pares de um lado, ímpares do outro. As cuadras vão do 0 a 100, 100 a 200 … 3400 a 3500 e assim vai. Sempre de 100 em 100.

* Guia T – vende nas bancas também, custa mais ou menos 7 pesos e é uma mão na roda, porque te ensina que ônibus pegar. E ainda serve de lembrancinha da cidade. Todo argentino tem, todo estrangeiro ama. Recomendo e não vivo sem!

* Se for levar algum aparelho elétrico a tensão é 220 Volts. A Frequência é 50 Hertz. As tomadas são diferentes das brasileiras pois possuem aterramento. Para ligar carregadores de celular, maquinas fotográficas, notebooks você vai precisar de um adaptador. Peça no hotel ou compre em uma loja de material elétrico local.

LIGAÇÕES INTERNACIONAIS

O código internacional da Argentina é 54 e o da cidade de Buenos Aires é 11. Para telefonar para o Brasil disque: 00-55 (código da cidade) e o número do telefone. Para usar o seu celular habilite na operadora antes de viajar e certifique-se que seu celular é triband.

#MINHAVIAGEM:

– Comprei um cartão de telefone na banca de revista/jornal e falei durante toda a viagem sem problema algum. Por poucos pesos é possível falar horas!! Uma boa economia.

ONDE IR

Entre os lugares turísticos mais importantes se encontram no Centro Histórico da Cidade, setor formado praticamente pelos bairros de Monserrat, San Nicolas e San Telmo.

bairros

CENTRO – MONTSERRAT E SAN NICOLAS
A Plaza de Mayo é o centro cívico de Buenos Aires e foi cenário dos sucessos históricos mais relevantes. Presidentes e seus discursos, revoluções, reclamações obreiras, protestos sociais, rebeliões, caídas, a declaração da guerra com a Inglaterra, Eva Perón e uma lista Interminável de acontecimentos decisivos para a nação. A leste da Praça pode-se observar a Casa Rosada, atual sede do Poder Executivo da Argentina, onde, antigamente, se encontrava o Forte. Uma dica legal é ver as trocas de guarda dos Granaderos de San Martín, entre 7h e 19h, em todas as horas ímpares.

Plaza de Mayo

Plaza de Mayo

Entre outras atrações da região, estão a histórica Avenida Corrientes, imortalizada com o tango e seus cafés, livrarias e cinemas, o Obelisco, cartão-postal da cidade, e o belo Teatro Colón. Nas proximidades do teatro, encontra-se ainda a famosa Calle Florida, uma rua comercial de pedestres extremamente movimentada onde se encontra o luxuoso shopping Galerías Pacífico e o Centro Cultural Borges.

Abriga atualmente o maior pólo de diversão portenha, que, para alguns, já tira o posto da Recoleta. Há vários restaurantes, cinemas, casas noturnas, lanchonetes e cafés, passeios, museus, o Iate Clube, hotéis e uma bela vista do rio e de novos pólos financeiros e residenciais de Buenos Aires. Bom para um passeio durante o dia também quando há tours locais.

*Cuidado ao andar pelo centro, sobretudo à noite e nos finais de semana, quando o movimento é menor. A polícia argentina é até bem eficaz, mas mesmo assim, ocorrem muitos assaltos nessa área. Portanto, fique sempre atento e não saia pelo Centro com objetos de valor e/ou muito dinheiro, por precaução.

DSC01503

Obelisco

PUERTO MADERO

O bairro conta ainda com um cassino, apesar de eles serem proibidos na província de Buenos Aires. A história do cassino é pitoresca: para driblar a lei, seus donos o instalaram dentro de um navio em Puerto Madero. Lá, ele não fica sediado no território de Buenos Aires, e, assim, responde às leis marítimas, que permitem o jogo.

DSC01579

Cassino

Um acontecimento interessante é observar (depende da sorte) as pontes que, para dar passagem aos barcos, giram e encaixam-se nas laterais, ao contrário da grande maioria que se ergue.

Entre os restaurantes, há opções de massas, carnes (inclusive um brasileiro), peixes e buffets. Os cardápios ficam visíveis na frente dos estabelecimentos para consulta de preços e opções. Encontrar um lugar, no entanto, pode ser motivo de estresse. Uma tentativa é reservar antes. O povo argentino costuma sair para jantar a partir das 22h, especialmente às sextas e sábados.

SAN TELMO

Marque na agenda portenha: domingo (e só) é dia de ir a San Telmo. É imperdível! A principal característica do bairro é a concentração de antiquários e galerias de arte que deixam qualquer um com vontade de redecorar a casa. Apesar dos preços nem tão satisfatórios para o bolso brasileiro, San Telmo mantém o charme em mais de 30 antiquários, entre 200 pontos comerciais.Todo domingo, de manhã à tarde, a Plaza Dorrego de San Telmo é ponto obrigatório, dando espaço à Fería de San Pedro de Telmo. Não precisa comprar nada, mas vá, dê uma volta entre as barracas, onde vendem-se talheres, bandejas de prata, mesas, cadeiras, luminárias, moedas, tudo de época.

Por ser ponto de concentração turística, artistas se apresentam nas ruas, desde os dançarinos de tango até os que fazem performances de estátua viva, todos pintados de branco, prata ou dourado, em troca de uma moedinha. Nunca tente tirar fotos dos artistas sem deixar-lhes uma moeda, você pode ser ofendido por alguns, afinal, eles estão lá para ganhar a vida.

DSC01558

Mafalda em San Telmo

      OBSERVAÇÃO:

Feira de San Telmo (Plaza Dorrego)

Dom 10 às 18h

PALERMO

O Museu de Arte Latino-americano de Buenos Aires – o MALBA – é um dos mais importantes do país e se encontra no bairro de Palermo, onde também se situam os Bosques de Palermo, o Planetário, o Jardim Japonês e o Zoológico de Buenos Aires.

Jardim Japonês

É um bairro residencial e de lazer, com muitas praças onde crianças brincam, amigos praticam esportes e famílias fazem piquenique. O bairro é dividido atualmente em dois – Palermo Soho e Palermo Hollywood. Hollywood abriga os restaurantes mais chiques e caros, já o Soho é mais animado, com muitos bares e feiras artesanais. O parque 3 de Febrero é um dos maiores e mais populares da cidade.

Jardim Japonês:

4804-4922/9141

Esquina das avenidas Casares e Adolfo Berro

Restaurante: 4800-1322

Planetário:

4771-9393/6629

Av. Sarmiento com Belisario Roldán

Jardim Botânico:

4831-4527

Avenida Santa Fé, 3.961

Zoo de Buenos Aires:

4011-9900

Esquina das avenidas General Las Heras e Sarmiento.

RECOLETA

Um dos bairros mais legais, a Recoleta é imperdível, principalmente nos finais de semana devido à enorme feira de artesanatos, e por seus cafés e bares. Imitando Paris, possui grandes áreas verdes e fachadas em estilo francês. Apesar de ter perdido um pouco no setor de diversão para Puerto Madero, o charmoso bairro ainda concentra algumas construções de época e uma das ruas mais caras do comércio portenho.

A feira de antigüidades e artesanatos diversos, ótimos para escolher aquela lembrança, localizada na Praça da Recoleta, é ponto de parada obrigatória.

E, mesmo que possa parecer mórbido, entrar no cemitério da Recoleta é uma atração, no mínimo, pitoresca. Lá estão enterradas as principais figuras da história Argentina, entre elas, a talvez mais famosa, Eva Perón. Outro detalhe “interessante” são os caixões que ficam expostos, e não enterrados ou colocados em gavetas como de costume. Há uma tradição também que toda família, ao sepultar um ente, que leve um gato, provavelmente para que este evite a proliferação dos ratos. Você notará um grande número destes animais lá.

DSC01544

Visitando Evita Péron

É na Recoleta que fica o Hard Rock Café argentino, com sua lojinha de camisetas, bonés e moletons famosos que circulam por aí, bem como um shopping de design e móveis, interessante para os estudantes de arquitetura. O bairro também abriga o Museo Nacional de Bellas Artes, recheado de novidades e instalações em sua volta, prédios e monumentos, a embaixada do Brasil, a Biblioteca Nacional, o Centro Cultural Recoleta, a Faculdade de Direito da Universidade de Buenos Aires, a Basílica Nuestra Señora del Pilar, o Palais de Glace e o Bar La Biela.

LA BOCA

É o bairro mais visitado por turistas, mas também uma das mais pobres da cidade.

O futebol faz parte da vida cotidiana da boca. O bairro está localizado o clube eo estádio do Boca Juniors.

A rua mais famosa do bairro é chamado de “Caminito”, onde diversos artistas e pintores vendem seus trabalhos aos visitantes. Caminito hoje é visitado por centenas de turistas todos os dias. Os antigos cortiços e prostíbulos com paredes de chapa hoje parecem uma grande vila colorida. As tintas que dão cor ao local eram restos que sobravam das pinturas dos barcos no porto da cidade.

553504_4173493579470_49275529_n

Show de cores no Caminito

A “La Bombonera” pertence a um dos clubes mais populares da República Argentina, o Boca Juniors (o outro é o River Plate, do bairro de Nuñez). O estádio foi construído em 1940, é carinhosamente chamada de “La Bombonera”. Para as cores das camisetas usadas as mesmas cores da bandeira sueca. Tem uma capacidade de cerca de 60.000 pessoas. No exterior, pode-se ver um mural realizado pelo artista Pérez Celis.

O Museu do estádio está aberto diariamente das 10 às 18 horas. O horário é modificado em dias de jogo em La Bombonera. Sugerir telefone que o museu para verificar. Tel (54 11) 4362-1100.

Como chegar:
Linhas de ônibus: 25, 46, 86, 29, 53, 152, 168, 64, 22, 24, 39, 70, 39.
Andar a pé: A duas quadras do Caminito.

547290_4173491059407_1002910348_n

La Bombonera

Zoo de Lujan
O Zoo é 100% seguro pois os animais lá são criados desde pequenos com contato com humanos e com cães, tornando-os extremamente dóceis.

Como chegar? Primeiro, você deve reservar um dia inteiro para esse passeio, uma vez que o Zoo fica a 60 km ao sul da Argentina, a cerca de 1 hora e meia de ônibus do centro de Buenos Aires.

1)    Pegue um subte (metrô) até a estação PLAZA ITALIA (linha D).

2)    Chegando lá, procure o ponto do ônibus 57 e compre na bilheteria sua passagem (7,50 pesos). O ônibus vai até a cidade de Mercedes, mas o Zoo fica um pouco antes. Sugiro que você peça para o motorista para avisá-lo quando tiver que descer.

3)    O ônibus vai até uma cidadezinha chamada Moreno, onde fará algum desembarque rápido e a próxima parada é Lujan. Você saltará na auto-pista, do lado oposto e em frente ao Zoo Lujan. Atravesse por baixo do viaduto e você estará na porta do Zôo.

Para retornar, compre sua passagem de volta na loja de presentes dentro do Zoo.

O ônibus de volta para na porta do Zôo e voltará direto para Buenos Aires, sem paradas extras. Esse passeio deverá levar quase todo o dia, e você deverá estar em Buenos Aires lá pelas 4 da tarde.

#MINHAVIAGEM:

– Eu até tentei ir na primeira vez que fui a BsA, mas desisti pois tomava um dia inteiro e eu tinha pouco tempo. De qualquer forma, depois repensei e acho que não gostaria. Nada me tira da cabeça que os animais são dopados para ficarem mansos. Não acho possível “domesticar” um animal selvagem visto que são feitos de instinto. Há uma grande polêmica sobre esse assunto. Alguns defendem que são dopados e outros que não. Pela dúvida prefiro não ver.

CityTour Bus

Funciona assim: você compra uma passagem que pode ser válida por 24 ou 48 horas, você escolhe.

Com essa passagem você embarca em um dos vários ônibus conversíveis de dois andares, que saem da esquina entre as ruas Florida e Diagonal Norte, a cada 30 minutos.

Em cada poltrona, um fone de ouvido desses grandes, com uma gravação em português com sotaque engraçado, conta a história e curiosidades de cada ponto turístico por onde passa o ônibus.

Ah, você pode descer do ônibus na parada que quiser, passear e depois pegar o próximo, que passa em meia hora.

#FICADICA:

– O ônibus vive lotado! Aconselho que comprem passagem um dia antes para poder pegar ônibus pela manhã e ter bastante tempo para descer em todas as paradas que você quiser.

O passeio inteiro, sem descer em nenhum ponto, dura mais ou menos 2h30.

NOITE

A noite inicia-se geralmente depois das 23 horas nos pubs e bares. As boates abrem tarde, geralmente, depois de uma da manhã. Os portenhos vão depois das 2h30 e ficam até as 7h. Outro atrativo importante da noite são os espetáculos teatrais, clássicos e alternativos, com sessões de madrugada.

Club Museum – San Telmo

Happy-hour com bom som, mas tem que chegar cedo, antes das 22h, pois começas às 19h.

Cronico Bar – Palermo Soho

Happy-hour para tomar muita cerveja e, com algumas vezes, shows de rock ao vivo. Não é o mais badalado, mas está sempre cheio e com cervejas geladíssimas, raridade na Argentina.
Frére – Cañitas

Ótima opção para a noite de Buenos Aires, talvez a mais típica delas pela musica, ambiente e freqüentadores. Muito bem localizada em um bairro super seguro para sair e pegar um táxi ou ir caminhando até o ponto de ônibus. Normalmente a entrada antes de 1h30é grátis. Las
Jackie O. – Las Cañitas

Boliche de estilo norte-americano com 3 pisos, com música variando a cada dia da semana com bom preço e sempre cheio. Normalmente a entrada é grátis, menos sexta e sábado. É um ambiente tranqüilo, com sofás, mesas e uma pista pequena que fica lotada entre 4h e 5h aos sábados.

Magno Bar & Lounge – Caballito

Pub para ir acompanhado e tomar vinho nos sofás.

Maluco Beleza – Centro

Boate com bom ambiente para dançar a dois com muita música brasileira como pagode, axé, forró e, principalmente, o zouk. Por isso também é muito freqüentado por brasileiros. 

 

TANGO

Ir a Buenos Aires e não ver o tango é como ir a Roma e não ver o papa!

Durante a feira de San Telmo é possível ver apresentação de artistas que ficam pelo local, mas nada se compara a um show a noite.

Há várias opções, fui no Madero Tango.

Nosso total deu USD 361,50 (para 3 pessoas) com o jantar completo (entrada, prato principal e sobremesa), show e bebidas.

 

ONDE COMER?

A culinária argentina se caracteriza por muita carne, vinhos e empanadas, em grande parte devido aos italianos e espanhóis. As carnes, temperadas só com sal, quase sempre vêm sempre acompanhadas por batatas e saladas, além do tradicional pão. Entre as principais carnes, destacam-se o bife de chorizo (nosso contra-filé), lomo (nosso filé mignon), carne de cervo e de javali. Não deixe de provar a famosa parrillada.

Para enganar o estômago, há o super pancho – o cachorro-quente argentino – e as clássicas empanadas, uma espécie de pastel com massa fina e crocante. Para beber, não se pode deixar de provar a gaseosa (refrigerante) de pomelo e o mate, ou chimarrão para os não-gaúchos. A erva-mate utilizada na Argentina é diferente da utilizada no Brasil, pois é triturada e é mais forte e mais amarga do que a brasileira. E, falando de chá, o té russo ou, como é mais conhecido, té con leche, é uma mistura tradicional argentina, onde se coloca chá no leite. É muito bebido no café-da-manhã assim como as também clássicas media lunas, espécie de croissant argentino.

Os doces argentinos também são uma atração de Buenos Aires. O dulce de leche é maravilhoso e os alfajores também! Os clássicos são os da Havanna e, entre os mais baratos vendidos em qualquer esquina, os da Jorgelín são bons. Os sorvetes argentinos também são excelentes, entre eles os sabores de dulce de leche da Freddo e de cassis da Munchi’s.

Nos restaurantes, o almoço é servido a partir das 13h e o jantar a partir das 21h. Muitos estabelecimentos oferecem refeições rápidas a toda hora.

OBS.: Filet mignon com batata frita e arroz = lomo con papas fritas y arroz / Bife de contrafilé = bife de chorizo / Porco = Cerdo ou chancho / Picanha = Cuadril

GUIA DE RESTAURANTES E BARES EM BUENOS AIRES

PARA COMPRAR

A Calle Florida localizada no região do microcentro é a rua mais freqüentada e conhecida dos turistas brasileiros pela variedade de lojas de produtos de couro, calçados e peles argentinas.

No El Once uma das zonas mais cosmopolitas e intensas da cidade. encontram-se as lojas de confecções e comércio popular. Ali convivem pacificamente judeus, árabes, chineses, peruanos, bolivianos, armênios, coreanos em cerca de 3000 lojas atacadistas e varejistas de todos os tipos.Também é onde se pode comprar tecidos. Desenvolvido em torno da Estação ONCE tem como eixos principais a Avenida Pueyrredon e as Calles Corrientes, Rivadavia e Belgrano. A região abriga também o shopping Abasto. Subtes A,B e H

Acessórios, sapatos, bolsas chiques e fashion, moda feminina, masculina, esportiva e de crianças você encontra na Av. Santa Fé e nas suas transversais. Nesta rua você vai encontrar inúmeras opções de compras, entretenimento, restaurantes, cinemas, pubs, confeitarias, livrarias, lojas de roupa e de calçados.

#FICADICA

– As lojas normalmente fecham às 20 hs. Muito cuidado ao andar por essa rua, pois pelo grande número de pessoas corre-se o risco de ser furtado ou sua bolsa ser cortada por canivetes. É muito recomendável não usar as mochilas e bolsas às costas e ficar atento o tempo todo.

– Calle Once: se a palavra de ordem é economizar, o trecho da avenida Corrientes que vai de Callao a Pueyrredón tem várias lojas de roupas, calçados e acessórios com venda no varejo e no atacado.

– Av. Santa Fé: Desde o cruzamento com a Florida até a rua Scalabrini Ortiz há inúmeras opções, desde compras, entretenimento,restaurantes, cines, pubs, com preços menos “turísticos” que os da Calle Florida.

Galerías Pacífico (Florida 735 esquina Av. Córdoba)

Boas lojas, bons preços

Passage de la Defensa (Defensa 1179 – San Telmo)

Galeria de brechós

Lacoste

Gurruchaga 1637

Shopping Alto Palermo, Paseo Alcorta e Patio bulrich

Av Santa Fé, 1414.

Speedo Shop

Av. Corrientes 3247 (Abasto Shopping Center).

Stock Center

Av. Santa Fe 3253 (Alto Palermo Shopping Center), Av. Corrientes 3247(Abasto Shopping Center).

Nike Shop

Av. Corrientes 3247 (Abasto Shopping ), Florida 737 (Galerías Pacifico), Avenida Santa Fe 1665, Pierina Dialessi 360, Dique IV e Puerto Madero Este.

Falabella – calle Florida

Loja de departamentos. Eles estavam fazendo uma mega liquidação e a maioria das coisas eram bem mais baratas do que aqui no Brasil. Só não sei te dizer com certeza se os preços são equivalentes ao do Duty Free!
Tem tudo e a ótimos preços: maquiagem, perfumes, bolsas, roupas femininas e masculinas as marcas Quicksilver, Billaboing, Rusty e outras de surfwear.

 

OUTLET

Preço baixo você vai encontrar nos outlets de Buenos Aires. Na própria av. Santa Fé há algumas lojas.

Na Avenida Córdoba a partir do 4200 (altura da Av. Scalabrini Ortiz) encontram-se os outlets das marcas argentinas renomadas.

Lacoste Outlet – Aguirre 875,

Adidas Outlet – Av. Santa Fe 3253 (Alto Palermo Shopping ), Av. Corrientes 3247 (Abasto Shopping), Florida 737 (Galerías Pacifico).

Puma Outlet – Av. Santa Fe 3253 (Alto Palermo Shopping).

Hugo Boss – Shopping Patio Bullrich, Av Del libertador , 750, com Posadas,  Recoleta

Jeans DIESEL – Calle El Salvador e Gurruchaga, Palermo Soho

Calvin Klein – Florida 787, Microcentro-4814 0696 subte Florida Línea B

Christian Dior Outlet – Lafinur 3057,

Adidas – Malabia 1720, Palermo Viejo, 4831-0090

Armani – Av Alvear 1750, Recoleta

Levis outlet – Córdoba 4654.

#MINHAVIAGEM:

– Não me lembro qual a estação de metrô próxima, mas deem uma olhada no mapa que vão achar fácil. É perto. Precisa andar pouco.

– Durante minhas viagens não comprei NADA na Rua Florida. Achei uma furada para compras. Tudo muito caro, montado para turistas. Vale andar muito por Buenos aires pois irá encontrar loja voltada para os portenhos que são muito mais baratas. Vi um tênis numa loja local do lado do outlet da Levis que estava metade do preço pedido na Florida.

COURO

Calle Murillo, no trecho entre a Avenida Scalabrini Ortiz e Gurruchaga. Não esperem uma quantidade interminável de lojas. São apenas uns quatro quarteirões. É possível que a Calle Florida tenha mais lojas, com mais variedade. Mas sem o precinho campeão que tem aqui.

Uma jaqueta de couro bacana pode estar entre 400 e 800 pesos, dependendo do modelo.

Para mim, as melhores lojas são a Patagonia Cueros, a Murillo 666 e a Reza Duro. A maioria das lojas aceita dólares e cartão. Mas pagando em dinheiro (pesos) você pode ter um abatimento de 10%. Fora isso, os vendedores das lojas não caem no joguinho de pechinchar. Eles sabem que já têm o melhor preço da cidade e não vão fazer nenhum descontinho extra não.

Para chegar até essa zona de Outlets, vindo do Centro da cidade, é só pegar a linha B do metrô (vermelha) sentido Los Incas e descer na estação MALABIA. Caminhando por Malabia, são três quadras até a Murillo. Se você está em Palermo, dá para ir andando, tranquilo.

#MINHAVIAGEM:

– Mesmo que você não queira nada de couro, vai acabar comprando por causa do preço. Vale por casacos, bolsas, carteiras…

#FICADICA – DIVERSOS:

– Não deixe de provar os Havanets: uma espécie de nhá-benta recheada de doce de leite. O doce de leite é cremoso, macio, aveludado. A de chocolate branco é ainda melhor. Cada um custava 2,50 pesos.

– Conheça a cidade a pé – é a melhor maneira! Andei tudo a pé por lá, só não fui a La Boca a pé e não recomendo ir. Peligroso…

– No saguão principal do aeroporto, o turista vai encontrar um quiosque da Secretaria de turismo com informações sobre transporte urbano,  mapas da cidade e das linhas de metrô etc.

Aproveite Buenos Aires no máximo. Uma cidade deliciosa que, com certeza, vai deixar saudades.

*Todas as informações deste post foram retiradas de sites da internet e de vivências pessoais.

#VoltaCazuza – Ipanema

Para os fãs do cantor esse final de semana já está preenchido.

Cazuza

De volta para casa… a Cidade Maravilhosa recebe o maior poeta da música brasileira, para reviver e viver a emoção de um show tecnológico inesquecível.

No domingo, dia 19 de Janeiro, acontecerá o GVT Music Live Show Cazuza. O tributo dedicado ao cantor será em Ipanema, em frente ao Praia Ipanema Hotel (Av. Vieira Souto com R.Paul Redfern, entre os postos 9 e 10), e irá contar com a participação de Leoni, Gal Costa e Paulo Ricardo.

A grande novidade é que a holografia do Cazuza que irá cantar a abraçar os fãs durante 20min. A tecnologia utilizada no show “Renato Russo Sinfônico” emocionou milhares de fãs e agora vem para ser um conforto aos fãs desse grande artista da música que foi Cazuza.

Se você está no RJ, não perca!

GVT Music Live Show Cazuza
Onde: Praia de Ipanema – Rio de Janeiro
Quando: 19/1, domingo
Hora: Abertura às 19h com DJ e início do show a partir das 20h30
Ingressos: Entrada gratuita, sem necessidade de retirada de ingressos (sujeito à lotação controlada pela prefeitura do Rio)
Classificação: O show é recomendado para maiores de 14 anos.

São Miguel dos Milagres – O paraíso é aqui!

ROTA ECOLÓGICA – ALAGOAS

Se o que você precisa é um lugar para curtir sossego, pousadas de charme, praias desertas, mar quentinho, piscinas naturais e gastronomia de qualidade você precisa conhecer a Rota Ecológica, no litoral norte de Alagoas.

Esse canto ainda selvagem e paradisíaco do nosso litoral está situado bem no centro da Costa dos Corais. Não conhece? É aquela região que começa em Maceió e termina em Recife, protegida pelo segundo mais banco de arrecifes do mundo (só perde para a Grande Barreira de Coral da Austrália).

A região foi preservada graças ao traçado da estrada litorânea de Alagoas, que na altura de Barra de Santo Antônio faz um desvio para o interior e só retorna à costa em Maragogi. Os pouco mais de 40 km de praias entre Barra de Camaragibe e Japaratinga são servidos por uma estrada secundária, com um trecho de asfalto (até Porto de Pedras), uma balsa (para atravessar o rio Manguaba entre Porto de Pedras e Japaratinga) e um trecho que alterna estrada de chão com paralelepípedos (em Japaratinga).

O lindo mapa é de autoria de Dudu Cavalcante, desenhado quando ele era um dos sócios da Pousada do Caju.

O lindo mapa é de autoria de Dudu Cavalcante, desenhado quando ele era um dos sócios da Pousada do Caju.

#ficadica:

– O Ricardo Freire faz um guia sobre a Rota Ecológica e as opções de hospedagem. Descubra qual a sua praia aqui.

COMO CHEGAR

Nossa escolha foi São Miguel dos Milagres, localizado no Povoado do Toque.

Os aeroportos mais próximos são Maceió (100 km) ou Recife (175 km) e, a partir de lá é preciso alugar o carro ou solicitar um transfer na pousada.

Pegamos o voo da GOL RJ x Maceió (voo direto). O voo atrasou 1h e chegamos em Maceió por volta de 15h30. Ao realizar a reserva na Pousada do Caju solicitamos um transfer para fazer o trajeto Maceió x São Miguel dos Milagres. O Tino (motorista) estava nos esperando no desembarque.

O trajeto é de aproximadamente 2h e a paisagem varia entre mata, vista do mar e povoados. Durante nosso trajeto o Tino nos informou que há duas estradas para chegar à São Miguel dos Milagres. Conforme experiência dele o GPS sempre mostra o caminho mais curto, porém é o mais perigoso. Parece que tem muito assalto nessa estrada e por isso só indica o caminho mais longo.

Na entrada para a melhor estrada (longa) a placa informando sobre São Miguel está totalmente apagada, não dá pra ler nada. A dica é formatar o GPS para o povoado de Camaragibe e quando chegar mudar para São Miguel dos Milagres, pois esse povoado é no caminho.

Para chegar a Camaragibe passamos por uma estrada sinuosa de aproximadamente 35km, muito semelhante a uma serra, mas não se assuste, é por ali mesmo rs. Após Camaragibe são mais 10km até o povoado do Toque.

Do povoado do Toque até a pousada é necessário passar por uma estrada de terra. Cuidado caso tenho chovido.

O PARAÍSO

Após uma longa pesquisa optamos pela Pousada do Caju, mas há outras ótimas opções como Pousada do Toque, Pousada da Amendoeira e Pousada Cotê Sud, entre outras.

Escolhemos a Pousada do Caju por conter a melhor avaliação no Tripadvisor. De todas as mais requintadas é a única que não é “pé na areia”, para chegar a praia é preciso caminhar uns 100m entre a mata, mas após visitar a do Toque e ter informações sobre a hospedagem de uma amiga na Amendoeira acho que fiz uma excelente opção.

P1010209

Recepção

P1010219

Recepção

P1010200

P1010346

P1010202

P1010225

P1010248

Distância da praia

A Pousada do Caju possui opção de hospedagem em quartos (para 2 pessoas) ou bangalôs (para até 4 pessoas). Ficamos no bangalô de luxo e nos impressionamos com o espaço, além de conter equipamentos diversos como DVD, Home Theater, Ipod Touch, TV no quarto e na área da banheira de hidromassagem e um HD Externo com muitos filmes a decoração contemporânea de toda a pousada também merece destaque.

P1010223

Bangalô Esmeralda

P1010114

Dvdoteca

P1010118

Closet

P1010120

Hidromassagem

P1010133

Varanda

A expressão “sentir-se em casa” faz muito mais sentido após a estadia por lá. Logo ao chegar, o hóspede é apresentado à sua nova “equipe pessoal”: camareira, mensageiro, garçom e somos recebidos pelos donos da pousada. Aliás, a receptividade e a atenção dos proprietários são dignas de registro. José Carlos e Alírio são portugueses e administram a pousada com um diferencial impecável.

Chegamos à Pousada do Caju por volta das 18h00.

Logo após nos instalarmos um dos empregados atenciosamente veio nos trazer o cardápio para que escolhêssemos o jantar e informássemos o horário em que pretendíamos ir jantar, uma maneira simpática de “adiantar” o jantar para que quando chegássemos não fosse preciso esperar muito para o preparo do prato.

P1010138

vista do restaurante pela varanda do bangalô

P1010165

Café da manhã

P1010354

Petiscos e drinks na piscina

A pousada conta com 9 quartos e 3 bangalôs, piscina, restaurante,  área chamada de “biblioteca” na recepção com livros e revistas diversos. Além disso, estão expandindo e criando mais uma área onde haverá um SPA (academia e sauna), outro restaurante e um quarto para casal com vista mar. A pousada só aceita hospedagem de crianças maiores de 12 anos o que propicia uma grande hospedagem de casais.

P1010249

Área de Expansão

A praia é um espetáculo a parte. Com piscinas naturais de águas quentes e areias desertas. O chamado “caribe brasileiro” não deixa a desejar. Pegamos época de maré baixa e portanto era preciso caminhar bastaaante para que se conseguisse água na altura da cintura. É necessário apenas avisar no restaurante que você irá para a praia que prontamente eles montam as cadeiras e barraca para você. Sempre fica um empregado na praia para caso queira pedir alguma bebida ou petisco.

A pousada disponibiliza jogos de praia como frescobol e frisbee.

P1010151

Praia do Toque

P1010303

Maré baixa

P1010172

Futebol dos nativos

P1010145

Exclusividade

P1010262

Um lugar para chamar de meu

#ficadica:

– A pousada indica passeios diversos desde jangada para as piscinas naturais do Toque (R$ 25,00) até passeio de buggy em Maragoggi (R$ 190). Se quiser maiores informações sobre os passeios, tanto os empregados quanto os proprietários, terão o prazer de ajudar.

A hospedagem é de meia pensão (não inclusa bebida e nem sobremesa) e o prato mais barato do dia é cobrado. É possível comer no restaurante das outras pousadas próximas, mas por comodidade, acabamos fazendo todas as refeições na própria pousada. Com um cardápio requintado é possível provar a culinária local com o toque de um chef de cozinha preparado. A mistura de sabores e temperos é o diferencial da cozinha. Os pratos principais giram em torno de 60 a 80 reais por pessoa e as sobremesas são aproximadamente R$20 cada.

Hospedamos-nos na época do natal e a ceia (inclusa) foi realizada na beira da piscina com um charme surpreendente. Ao chegarmos éramos recepcionados com champagne e muita simpatia por parte dos proprietários e dos empregados. O menu continha 7 pratos diferentes entre entradas e sobremesa. Cada mesa ganhou uma garrafa de champagne.

P1010432

Recepção com champanhe

P1010437

Mesa reservada

P1010441

nós

P1010448

P1010451

Filé Mignon com Lagostini

P1010456

Após o jantar os proprietários foram em cada mesa com seus votos de um Feliz Natal e uma lembrancinha com cartão personalizado para cada hóspede. Uma delicadeza que nos fez sentir especiais.

P1010459

Presente especial

P1010467

José Carlos e Alírio – Proprietários

P1010469

Uma parte da equipe

Ao final São Miguel dos Milagres foi uma deliciosa descoberta. Momentos muito agradáveis de paz e descanso e mimos que me fizeram sair de lá revigorada e pronta para um ano cheio de energia e novas viagens.

São Miguel dos Milagres virou um dos meus lugares tops para viagem em família, em casal, sozinho, para férias, final de ano, feriados e, principalmente, para a paz de espírito.